por Dr. Orlando Euler de Castro

Tendências
Todos temos constatado que são cada vez mais rápidas as transformações corporativas, no mercado, nas sociedades e, principalmente, na área da tecnologia, ficando mais curto o prazo para a incorporação de inovações na realidade dos negócios.

E para participarmos ou sermos os agentes dessas mudanças, precisamos estar preparados para aceitar questionamentos, praticar a humildade, a transparência e o diálogo.

Momentos atuais
Essas mudanças têm acarretado um acirramento da competitividade e uma pressão sobre os jovens, exigindo que estejam preparados para se adaptar à Sociedade e aos seus desafios.

Neste século têm sido enormes os recursos científicos, técnicos e da comunicação. No entanto, os conflitos não têm diminuído.

As pessoas e os povos se mostram intolerantes, impacientes, radicais, prepotentes, sem respeito e sem ética na defesa de suas posições.

Presenciamos a cada dia a perda de valores e da dignidade humana.

Precisamos ter cautela, porque a sociedade está enferma.

No BRASIL, em nossas comunidades e em nosso entorno, percebemos uma crise de confiança, falta de transparência e de autenticidade, ausência do respeito às divergências e a aspirações de protagonismo.

Neste ano e nos últimos meses, a própria tecnologia e as redes sociais ressaltaram este antagonismo, a agressividade, o desrespeito, a falta de ética e até o fanatismo.

A NOSSA SOCIEDADE TAMBÉM ESTÁ ENFERMA.

Avaliação
Esta situação de males e conflitos é decorrente de uma atenção perversa à luta pela sobrevivência nas áreas econômica e social, com foco na competitividade e no crescimento, com reduzida atenção ao ser humano e suas criações, à ética, à transparência e aos valores morais.

A recuperação da sociedade passa, necessariamente, por uma reavaliação das prioridades na educação. Nos testes do IDEB e do PISA, os focos são para o conhecimento técnico e o mercado.

Praticamente, quase nada sobre cultura, artes, comportamento, relacionamento, ética ou valores morais e humanos.

Para aprimorar estes testes, contribuindo para uma formação integral, para a sociedade e, principalmente, para os requisitos das necessidades futuras, poderiam ser incluídos temas, como:

a) Da área de tecnologia
b) O comportamento, das artes, da ética e dos valores morais.

Na EDUCAÇÃO e nos NEGÓCIOS precisamos manter e estimular a criatividade e a inovação, além da competitividade, que é salutar e fator essencial para melhorar o desempenho e o crescimento, mas procurando preservar o espírito de equipe e os valores humanos.

Novos Tempos
Com o rápido avanço da tecnologia e da internet, as habilidades técnicas estarão mais acessíveis e em constante evolução. Para o futuro, passarão a ser preponderantes as habilidades comportamentais, como já registrado por órgãos internacionais.

Será necessário preparar os jovens para os novos desafios, contemplando essa rápida evolução da tecnologia e dos compromissos da responsabilidade social, para as pessoas e para as organizações.

Podemos e precisamos fazer algo, desde já, para melhorar nossa sociedade.

Deveremos perder o medo e ter a coragem de sermos coerentes, audazes, autênticos e éticos.

Contribuiremos assim para o crescimento das pessoas, para a melhora dos resultados das organizações e para o resgate da Dignidade Humana.

Oportunidades
É inquestionável que a EDUCAÇÃO é o instrumento preponderante para o empoderamento da Sociedade Civil e indispensável para assegurar o desenvolvimento e o progresso de uma Nação.

Para agilizar a colaboração do setor produtivo na melhoria da educação e da sociedade, além de mostrar o caminho, as soluções e os bons resultados no âmbito do Sistema Educativo, será essencial divulgar para o meio empresarial o que e como ele pode melhorar a educação e mudar a sociedade.

Será uma oportunidade de parcerias e patrocínios, que se espera seja reforçada com o redirecionamento de nossa economia, a partir deste ano.