Artigo publicado na  Revista Viver Brasil
Ed. 227 – Nov 19

O Governador Romeu Zema e a Secretária da Educação Júlia Sant’Anna têm, de fato, o inabalável propósito de melhorar a Educação. A FDG-Fundação de Desenvolvimento Gerencial tem, agora,  a oportunidade  de participar deste esforço por meio do Programa “Gestão pela Aprendizagem”, criado pelo atual governo. A FDG, mineira, instituída há 22 anos, instituição assistencial, sem fins lucrativos, dedica-se à gestão educacional. Na sua trajetória, já atuou em 11 Estados, entre os quais o CE, PE, RJ, AM, beneficiando cerca de 5 milhões de estudantes, 600 mil educadores e 6mil escolas. Possui um sistema de gestão próprio, denominado GIDE AVANÇADA-Gestão Integrada da Educação , idealizado pela Profa. Maria Helena Godoy, adaptado à Educação e que “que fala a língua da escola”.  

No Ceará, 2001/5, pôde  difundir e sedimentar os conceitos, assistindo diretamente as escolas estaduais. Como resultado, tem hoje 50 escolas  entre as 100 melhores no IDEB, no País. A curta estada em Pernambuco propiciou o maior crescimento do IDEB, em 2009, entre os Estados. O RJ era o 26º; depois de 1 ano  de GIDE saltou para 15º  no IDEB de 2011 e  passou para 4º lugar,  em 2013. Manaus, assistida pelo Instituto Aquila, tem registrado o maior crescimento do IDEB entre as capitais, em 2015 e 2017. Em MG vinha a FDG atuando em escala reduzida. Eram adotadas 20 escolas públicas/ano. Dessa modalidade, restam 2 escolas estaduais, a Duque de Caxias e a Padre João Botelho, com resultados excepcionais, tendo uma delas o melhor IDEB de escola pública  de BH, 8,1. Assistiu por um bom tempo o munícipio de Caeté, também com bons resultados. Atualmente, a FDG assiste  Vespasiano, que tem superado a meta do MEC no IDEB. Recentemente, passou a trabalhar em Sabará, custeada em parte pelo município. No cômputo geral, constata-se que, por onde se aplicou a GIDE, o principal indicador da qualidade na Educação teve crescimento muito expressivo.

Em MG, a FDG nunca havia conseguido convencer os governos passados a ter uma  atuação em maior escala, ratificando-se o preceito bíblico: “ninguém é profeta em sua terra”. Agora, convocada e apoiada pelo atual Governo, vai beneficiar 100 mil estudantes em 17 superintendências, com perspectiva de expansão em pouco tempo. Por isso, é patente o zelo, o empenho e a liderança do Governador e da Secretária no trato da Educação no Estado. Minas Gerais vai certamente liderar a recuperação  da Educação Pública no País, um feito extraordinário deste Governo.